Back to Campanha para um Brasil com salários mais justos

Consequências diretas e indiretas da "PEC da Bondade"

Amigos,

Como vocês já sabem, nossos parlamentares estarão, em breve, votando em mais um aumento em seus próprios salários. Por tanto, gostaria agora de realçar algumas das consequências diretas e indiretas dessa proposta de emenda a constituição:

• Os salários dos parlamentares serão elevados dos atuais R$ 26,7 mil para R$ 28 mil;

• O teto salarial do funcionalismo será elevado para R$ 56 mil;

• O chamado "efeito cascata" (aumentos decorrentes da relação hierárquica) na definição dos vencimentos nos três poderes nos estados e nos municípios;

• A possibilidade de que servidores recebam integralmente a soma de dois ou mais salários (ou auxílios) de fontes pagadoras diferentes, mesmo que esse valor ultrapasse o teto do funcionalismo;

• A retirada do presidente da República o poder de definir o valor do maior salário praticado na administração pública. De acordo com a proposta, a prerrogativa agora é exclusiva do Congresso;

• Os servidores municipais e estaduais deixarão de ter como limite salarial os vencimentos de prefeitos e governadores. O teto para eles será o mesmo dos servidores federais, ou seja, a remuneração dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

Inacreditável, não é?! Então vamos somar nossos amigos e familiares para para persuadir nossos políticos a votar contra mais um aumento em seus próprios salários! Assine agora e compartilhe em toda sua rede social: http://www.causes.com/actions/1746175-peticao-contra-proposta-da-bondade-para-altos-funcionarios (http://www.causes.com/actions/1746175-peticao-contra-proposta-da-bondade-para-altos-funcionarios)

O compromisso de votar essa proposta de emenda à Constituição foi assumido pelo presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), durante a campanha que o levou a eleger-se para o cargo. Ainda não existe data para a votação, mas é certo que a PEC 5/2011, de autoria do deputado Nelson Marquezelli (PTB-SP), será votada pelo plenário ainda neste semestre. Aprovada por unanimidade na comissão especial criada para analisá-la, a PEC por pouco não foi à votação juntamente com o fim do 14º e 15º salários dos deputados. O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves afirmou que "Só não botei em votação porque ia ofuscar o fim do 14º e do 15º. A imprensa só ia falar da PEC 5".

Deseja mandar uma mensagem de repúdio aos senhores Henrique Alves e Nelson Marquezelli? 

Henrique Eduardo Alves: Facebook (https://www.facebook.com/DeputadoHenriqueEduardoAlves?fref=ts) e Twitter (https://twitter.com/HenriqueEAlves);

Nelson Marquezelli: Facebook (https://www.facebook.com/nelson.marquezelli?fref=ts) e Twitter (https://twitter.com/MarquezelliNews)

Grato pela perseverança de todos,

Vinicius

*Fontes: Congresso em foco, artigo 1 (http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/camara-prepara-pec-da-bondade-para-funcionalismo-2/) e 2 (http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/proposta-abre-caminho-para-reajustes-em-efeito-cascata/).

2 comments

to comment