Back to CONTRA A LIBERAÇÃO DOS MAUS-TRATOS AOS ANIMAIS NO BRASIL - PL 4548/98

PENSATA ANIMAL - 3 ARTIGOS

E2

A VISÃO DE QUE DEVEMOS NOS BASEAR EM DISTINÇÕES NATURAIS
Formatos de narizes também existem, biologicamente falando. Não são meras construções humanas. Segue daí que estaria justificada uma forma de exploração, escravidão ou discriminação que se baseasse em tipos de narizes? Casas são construções humanas. Segue daí que seria injusta uma política pública que visasse dar moradia aos que perderam suas casas em um desastre natural, só porque é uma política que é baseada em um critério que faz referência à uma construção humana? Leia mais em http://www.olharanimal.net/pensata-animal/luciano-carlos-cunha/567-a-visao-de-que-devemos-nos-basear-em-distincoes-naturais

DIETA DE RATOS
A palavra dieta deriva do grego díaita que significa modo de viver. Inclui todas as escolhas pessoais que tenham um princípio claro a inspirar a busca de certos resultados coerentes com o que o princípio estabelece. Por exemplo, se o princípio é o de viver sem causar violência a nenhum outro ser vivo, tudo o que escolhemos deve se pautar por esse princípio. Nesse sentido, os veganos escolhem viver sem usar, explorar e matar animais para quaisquer propósitos. Por isso se pode dizer que há uma díaita ou dieta vegana ou uma ética vegana. Leia mais em http://www.olharanimal.net/pensata-animal/sonia-t-felipe/566-dieta-de-ratos

QUAL É A QUESTÃO QUE DEVEMOS RESPONDER?
Animais não-humanos são sujeitados rotineiramente a todo tipo de sofrimento e morte. Somente no uso culinário, bilhões deles são mortos mundialmente a cada ano, sendo que boa parte vive uma vida de intenso sofrimento nas granjas industriais, o que inclui a produção de ovos e laticínios (1). O maior número de animais que humanos matam, contudo, se encontra na atividade da pesca (2). Apesar da maioria dos peixes não viverem sob as condições de criação intensiva, suas vidas e o abate em si são geralmente marcadas por intenso sofrimento (seja sofrimento causado por práticas humanas, seja causado pela forma como se dão os processos naturais, como veremos mais adiante), para além da questão sobre o número de mortes. O número de animais de outras espécies mortos quase desaparece frente ao número de peixes mortos. Isso acontece não devido ao número de animais de outras espécies mortos ser pequeno (esse número chega a muitos bilhões), mas sim, devido ao número de peixes mortos ser esmagadoramente maior. Leia mais em http://www.olharanimal.net/pensata-animal/luciano-carlos-cunha/564-qual-e-a-questao-que-devemos-responder

.

1 comment

to comment