Back to Não ao desaparecimento do Teatro Sá da Bandeira (Porto)!

Carta Aberta a Ricardo de Campelo Magalhães

QUOTING Ricardo C. Magalhães:

Bom dia.

Não é aquele velho na Rua Sá da Bandeira?
Não há Teatros a mais no Porto?
Isso tem público, ou os únicos interessados são os que têm rendimentos pagos pelas pessoas produtivas na sociedade?

Há uma petição para encerrá-lo também, ou estão a colocar só um dos lados da questão como bons democratas que são?

Cmpts.

CARTA ABERTA:

Caro Ricardo,

O seu email mostra um total desconhecimento e sensibilidade para com a História da cidade e, neste caso concreto, para com o Teatro Sá da Bandeira que desempenhou um papel importantíssimo na vida social e cultural dos portuenses ao longo de séculos.

Se o termo por si utilizado ("velho") é no sentido pejorativo, recomendo-lhe que se informe antes de emitir qualquer juízo de valor.

Não se trata de haver ou não teatros a mais, trata-se de salvaguardar o nosso património.

Não está em questão igualmente a falta de público: deveria saber que o teatro tem gestão privada pelo que o senhor não paga um único cêntimo para que o mesmo funcione.

Se o Senhor se acha alguém "produtivo" e opta por emitir mais um juízo de valor infundado e a roçar o "insulto", foi bater na porta errada.

O seu email, sem querer ofende-lo, mostra uma total ignorância para com a nossa causa e a realidade patrimonial que vive o nosso país.

Cordialmente,
Daniel Rosa

to comment