Personal Campaign

Anonymous

Anonymous is gathering 10 signatures to

Pour La LibertÉ Des Femmes Saharaouis Dans Les Teritoires Du Sahara Occidental OccupÉs Par Le Maro

We the undersigned, strongly condemn the practices that have led to the elimination of millions of girls and women from South Asia's population, and hold the government of India accountable for failing to protect the lives of its female citizens. We further contend, on grounds of human rights, that immediate and effective action be taken by the government, through the implementation of rapid action task forces, to halt this femicide. We also insist the government officially commit to a time-line within which the associated practices of female feticide, female infanticide and dowry murders will be effectively arrested through the rigorous enforcement of existing laws and a stringent accountability on the part of India’s hospitals, government offices, and law enforcement agencies. We further urge international human rights bodies and other governments to join in this effort to persuade the government of Bangladesh, India, Thailand, including South Asia, Asia, Africa, Middle East, Europe, South America, UK and USA to acknowledge and honor the call of this petition. This implementation of international jurisdiction is very crucial in tacking the most horrific acts of offenders. Please support our cause fighting crime against humanity! Signed, Sheikh Faysel Abedin Aspiring International HR Barrister

Anonymous's progress

0 signed
10 Anonymous's goal

Personal Campaign

Libertando Cativos

Libertando is gathering 10 signatures to

Pour La LibertÉ Des Femmes Saharaouis Dans Les Teritoires Du Sahara Occidental OccupÉs Par Le Maro

PLANO DE EVANGELIZAÇÃO DO PROJETO LIBERTANDO OS CATIVOS INTRODUÇÃO O Projeto Libertando os Cativos está há cinco anos nas aldeias e tribos indígenas, vem se destacando através da Evangelização na cidade, destacando os princípios Cristãos na evangelização nas aldeias, Ribeirinhos, Quilombos, Assentamentos, e acampamen-tos ciganos. Para o ano de 2015 nossos objetivos são: 1º - Organizar os trabalhos existentes em prol da Evangelização nas comunidades, fir-mando em cada ação o Anúncio, Serviço, Diálogo e o Testemunho de Comunhão. 2º- Buscar pessoas ainda não alcançadas pelo evangelho de nosso SENHOR e SAL-VADOR JESUS CRISTO, e em especial desenvolver um cronograma de aproximação junto a Juventude e mocidade, que estão presas aos vicios. 3º - Fortalecer as ações Sociais. A complexidade do evangelismo junto as tribos indígenas se faz necessário a pratica do evangelismo social. OBJETIVO GERAL: Evangelizar proclamando a Boa Nova de Jesus Cristo, caminho para a santidade, por meio do serviço, diálogo, anúncio e testemunho de comunhão, à luz da bíblia sagrada, promovendo a dignidade da pessoa, renovando a comunidade, formando o povo de Deus e participando da construção de uma sociedade justa e solidária, a caminho do Reino de Deus definitivo. OBJETIVOS ESPECÍFICOS: Renovar a consciência da identidade e missão da igreja presente. Vivenciar a docilidade do Espírito para discernir os novos desafios em relação à pessoa, à comunidade e a sociedade. Manter vivas e perseverantes as visitas aos novos convertidos e pessoas que necessi-tam da palavra de DEUS. Realizar o trabalho de capelania nos hospitais, cárceres, asilos, orfanatos e manicô-mios., Aldeias, Assentamentos, zona rural ou urbana. Evangelizar com renovado Ardor Missionário Serviço, diálogo, anúncio e testemunho de comunhão. PRIORIDADES - EVANGELIZAÇÃO Nossa missão principal é anunciar as Boas Novas da salvação de Deus, que está na obra de Seu Filho Jesus, o Cristo. Firmamos compromisso com os verdadeiros Dons Espirituais que provém do Espírito Santo de Deus e com a santidade que tem como referência, os preceitos bíblicos. Cremos que a salvação é pela graça e somente é possível pela aceitação do Senhor Jesus como único e suficiente Salvador. Acreditamos na valorização do ser humano pelo qual JESUS morreu na cruz. Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus; (Romanos 3 : 23) Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. (João 3:16) Deus valorizou o homem a ponto de dar seu próprio filho por ele, nós, a igreja do Messi-as Jesus, devemos valorizar a pessoa em boa consciência de cumprimento do segundo maior mandamento bíblico: amarás a teu próximo como a ti mesmo(Mc 12.31). Nisso fica claro a intenção de Deus para a igreja do Messias, que é colher do mundo essas joias de valor imensurável, que é a pessoa humana. O Salmo 49.8 diz: O resgate de uma alma é caríssimo, as glórias das riquezas se esgo-tariam antes. Deus nos revelou esse valor quando nos deu seu Filho Jesus, único que poderia pagar o alto preço de nossa alma. Nosso Projeto tem por objetivo oferecer tratamento para pessoas com dependência química e alcoólica comprovada, recebendo e acomodando, essas pessoas em regime de internato nas unidades conveniadas. Apoio às pessoas que vivem em situação de rua (moradores), os quais muitas vezes, chegam das ruas, muitos deles já há dias sem comer e higienizar-se. O tratamento oferecido baseia-se na CONDUTA DE VIDA CRISTÃ BASEADA NAS SA-GRADAS ESCRITURAS, onde esses homens que outrora viciados, mendigos e etc, encontram libertação, direção e transformação de vida. Nosso trabalho é completamente pela fé em Cristo Jesus nosso Senhor. Sem fins lucra-tivos, nem mensalidades cobradas, apenas vivendo por fé. Objetivo: Promover a conversão da pessoa à vida de fé, respeitando a sua dignidade; Contribuir no processo de definição da identidade pessoal na sua dignidade e liberdade de filho de Deus no contexto de uma sociedade pluralista e empobrecida através do Serviço, diálogo, anúncio e Testemunho de Comunhão. Desafios: Pluralismo religioso (Insatisfação pessoal; falta de convicção) 2. Consumismo (Faz do ser humano um mercado) 3. Degradação Ambiental, e da vida (Morte de rios, caça indiscriminada, prostituição, vícios...) 4. Falta de consciência política (Venda do voto, política dominadora que predomina o coronelismo) 5. Política Sindical (Sindicatos que até tem o que reivindicar, mas não tem proposta) 6. Resgate e valorização das famílias fortalecendo os valores sociais. 7. Enfraquecimento das comunidades tradicionais 8. Falta de perspectiva de vida 9. Choque de Tradição METAS DE AÇÃO: Ajudar as pessoas a alcançar seu desenvolvimento humano conforme o Plano de Deus, priorizando os mais pobres e excluídos. Desafio: Promover na Igreja a igual dignidade de todos, incentivando a participação ativa de todos os fiéis e valorizando as diferentes vocações. Serviço a. Acolhida e orientação ... escutar ajudar a encontrar uma solução. b. Atenção às necessidades básicas... Alimentação, Saúde, Moradia. c. Formação de obreiros. d. Educação fundamental. Diálogo 1. Educar as pessoas para o diálogo. 2. O diálogo tem como modelo o amor desinteressado e radical que Jesus ensinou e viveu. 3. Amadurecimento na fé para compreender as outras religiões. 4. Valorização da Oração pela unidade dos cristãos. Anúncio: 1. O anúncio explícito de Jesus Cristo deve levar ao encontro com a pessoa de Jesus e ajudar a adesão a ele e o compromisso de segui-lo. 2. Incentivar a missão e organização missionária. 3. Incentivar o anúncio pelos Meios de Comunicação Social. 4. Anunciar a Boa Nova não é um ato de imposição, mas de testemunho de vida, Testemunho de Comunhão. 1. Incentivar a formação de comunidades fraternas, e dentro delas, pequenas comuni-dades, com relações mais diretas e pessoais, articulação entre comunidades. 2. Desenvolver a consciência crítica, oferecendo informação e formação. 3. Valorização da ação de leigos/as como membros vivos da comunidade e testemunhas de Cristo no mundo. 4. A valorização da presença da mulher na evangelização. RENOVAR A COMUNIDADE Objetivo: Criar condições para que as pessoas possam viver relações de solidariedade e de fraternidade que permitam sua plena realização humana e cristã. Desafio: Busca de relações mais humana frente: à fragmentação da vida, ao isolamento dos indivíduos, ao enfraquecimento das famílias, à diluição da vida comunitária, à vio-lência. Serviço a. Educação à solidariedade e à ajuda sem interesse. b. defesa dos direitos das famílias e das pequenas comunidades. Diálogo a. Respeito pela liberdade religiosa. b. Superar a discriminação racial. c. Empenho para superar toda forma de discriminação. Anúncio a. A própria comunidade cristã deve ser ela mesma, anúncio. Comunidades vivas, de partilha, de serviço, de acolhida, de celebração, de caridade... Testemunho de Comunhão b. Atenção às boas relações entre instituição e comunidade: Nova estrutura para a evangelização, atendimento e acolhida, comunidades de base e outros grupos de evan-gelização c. Valorização das pequenas comunidades, grupos e movimentos: como lugar mais hu-mano, afetivo, acolhedor e de participação: espiritualidade e conjuntura. CONSTRUIR UMA SOCIEDADE SOLIDÁRIA Objetivo: Valorizar as pequenas comunidades construindo uma sociedade solidária. Desafio: Incentivar iniciativas e práticas solidárias, reivindicando políticas públicas ade-quadas e participando na política, mostrando que o cristianismo é fermento de libertação da pessoa e de transformação e progresso da sociedade. Serviço: a. Participar nas iniciativas da sociedade civil e instituições públicas- parcerias. b. Atender as necessidades reais e urgentes, estabelecendo prioridades. Diálogo: c. Diálogo e respeito às tradições culturais e religiosas dos povos indígenas e afros des-cendentes. d. Promover o diálogo sobre as grandes questões éticas, as que atingem a vida. e. Apoio às políticas que favoreçam a inclusão social. Anúncio: f. A coerência da vida dos cristãos com a fé. Cristianismo como base de transformação da sociedade. g. Atenção aos jovens como protagonistas da evangelização e artífices da renovação social Testemunho de Comunhão: h. Educação para a solidariedade - formação na ação. i. Ações para superar as desigualdades econômicas, sociais na sociedade e no interior da própria igreja. j. Estudo da doutrina social da igreja. MINISTÉRIOS Ministério Palavra - está situado dentro do contexto do anúncio, do diálogo no serviço que gera comunhão. Ë necessário alimentar-se da palavra para tornar-se servo da mesma. Proclamação e escuta da palavra tem que ocupar o lugar central da evangeliza-ção, nela Cristo está presente. Deve-se ter o empenho de todos para que esta palavra seja ouvida e vivida com responsabilidade num conjunto de fé e vida, na formação bíbli-ca, na família, na escola, no trabalho e na vida social de modo geral, deve-se comunicar valores cristãos diante da pluralidade de culturas. A formação de pessoas competentes para assumir esta missão. "É pela pregação da palavra que todos tem acesso à fé" Culto - Momento que reúne a comunidade para celebrar a vida, alimentar a fé no louvor como manifestação e concretização da unidade na presença de Cristo, na força do Espírito Santo que convoca a Igreja. Pela graça do Batismo os Cristãos têm o direito e a obrigação de participar de forma plena, consciente e ativa, das celebrações na casa e DEUS. As comunidades valorizem a celebração dos tempos, ressaltando a espiritualidade e as atitudes próprias de cada tempo, sempre na perspectiva do encontro com DEUS. Ministério da Caridade - O amor cristão tem duas faces inseparáveis: faz brotar e crescer a comunhão fraterna entre os que acolhem os bens e os que nada têm e a solidarie-dade que leva ao serviço dos pobres, ao cuidado para com os sofredores, o socorro de todos os que precisam, sem discriminação. É preciso ter cuidado para não atender ape-nas às antigas formas de pobreza, mas também às novas, que surgem em conseqüên-cia das numerosas mudanças econômicas e sociais dos últimos séculos e atingem no-vos segmentos da população. Não cair no assistencialismo paternalista. Mas fazendo com que o serviço da caridade envolva aqueles a quem servimos não como objetos, mas como sujeitos da conquista de seus direitos como pessoas criadas à imagem de Deus. Assim, a escuta da Palavra, comunhão e compromisso com a justiça, alimenta e expressa à espiritualidade "batismal", que configura o cristão com Cristo e o faz viver como filho, irmão e servidor. DIÁLOGO COM AS CULTURAS E OUTRAS RELIGIÕES Para vivenciarmos a proposta das Diretrizes Gerais, na exigência do diálogo em nossa igreja é necessário o diálogo Inter-Religioso, que trabalhe com os cristãos e não cris-tãos. Uma equipe que estude, assessore e promova encontros na igreja. É importante promover encontros, trabalhos sociais que visem a defesa da fé e dignida-de humana e não a exclusão com outras culturas. INFÂNCIA MISSIONÁRIA Despertar na criança o desejo de ser missionário (a); que sejam sensíveis para com os direitos e os deveres do cidadão; firmar a cada dia seu papel na Igreja como membros agregados e chamados (as) à missão; Ajuda-los a fazer uma reflexão mais ampla da questão sócio-política e cultural na sua realidade local e do mundo. MISSÃO FAMILIAR É a Ação Evangelizadora direcionada às famílias, que se realiza na Igreja de forma or-ganizada e planejada, por meio de agentes específicos, com metodologia própria. Principais objetivos: * Evangelização da família e sobre a família; * Oferecer instrumentos necessários para a formação e promoção da família; * Fornecer orientações para a vivência familiar; * Levar a todos a boa nova do sagrado matrimônio; * Transformar a sociedade pela obra de evangelização humana e cristã. AÇÃO SOCIAL. Ensinar aos irmãos indígenas que é um Fundamento, espiritual bíblico - é uma forma de reconhecer a Deus como Senhor de todas as coisas e também para receber suas bênçãos; Identidade: Ato de fé e partilha; Finalidade - Manutenção da Igreja. " Que haja prestação de contas mensal para todos, de modo claro e simples, para favo-recer uma melhor participação. " Buscar outras formas de arrecadação, evitando laços com aproveitadores (politiqueiros e outros), que possam prejudicar a caminhada evangélica e livre da comunidade. " Favorecer a partilha entre todos, atentos aos mais necessitados, sem cair no assisten-cialismo e paternalismo. VOCACIONAL O Senhor chama em vista de uma missão especial a serviço do povo de Deus. Chama como quer, quando quer e a quem quer. O Pai escolhe, o Filho chama e o Espírito Santo envia para a missão. O Projeto Libertando os Cativos busca vocacionalizar as Comunidades, e Movimentos de modo que todos se sintam chamados a viver sua vocação humana, cristã e especifi-ca, seja assumindo ou ajudando na formação de comunidades cristãs. MINISTÉRIO DA ORAÇÃO Identidade: Oração e Ação, que é um componente chave para o sucesso espiritual do povo de Deus; Sua estrutura e organização vem do Nacional, difundindo-se até as co-munidades. Finalidade de incentivar o amor pelo coração de Deus conscientizando as famílias a se consagrarem a Jesus para crescerem na fé e no amor através do exemplo do filho de Deus. MINISTÉRIO DO IDOSO Tem como objetivo: * motivar todas as pessoas para que iluminadas pelos valores evangélicos, sejam cons-trutoras de novas estruturas e que assegurem a valorização integral às pessoas idosas e respeito aos seus direitos. * Chamar à atenção das pessoas e da sociedade em geral no que diz respeito às res-ponsabilidades de todos em relação às pessoas idosas, de modo que cada um se sinta motivado a assumir o seu papel. EVANGELIZADORES É a organização integrada de representantes da Igreja visando a vivência harmoniosa do ministério. Como a Igreja visa está empenhada na formação integral da vivência evangelística dos Leigos como também interagir nas necessidades de transformações da nossa sociedade. É uma Sociedade Civil de âmbito regional sem vínculo político partidário, nem fins lucrativos, que congrega e representa. Assumimos as Diretrizes da Ação Evangelizadora. ESPIRITUALIDADE Para que este plano de Evangelização seja realmente assumido é necessário que cada evangelizador tenha uma espiritualidade que revele: Docilidade ao Espírito Santo de Deus; Comunhão com Cristo Jesus, que nos leva ao Pai; discípulo, que "tem seus fun-damentos" na palavra de Deus e na, dos mistérios de Deus, na vida comunitária e no serviço aos necessitados.

Libertando's progress

0 signed
10 Libertando's goal